27 Out Sem comentários David Verissimo Ver Todas

Invasão dos adeptos do Boavista que, alegadamente, agrediram elementos do São João, levou à interrupção do jogo ao intervalo.

O jogo de futsal entre o Boavista e o São João foi, este sábado, interrompido ao intervalo, depois de adeptos axadrezados terem alegadamente entrado na zona de acesso aos balneários e agredido o treinador e o preparador físico do São João. O árbitro pediu a presença da polícia e, como esta demorou mais de meia hora a chegar ao pavilhão do Infante de Sagres (Porto), a partida não foi retomada.

Ao que parece os incidentes verificaram-se numa altura em que o resultado registava uma igualdade a um golo, depois de uma primeira parte bem disputada entre equipas que lutam pela permanência: terão sido três os adeptos do Boavista a dirigir-se ao treinador do São João, Alcides Lopes, que terá sido agredido e caído no chão. Também o preparador físico do clube de Coimbra terá sido vítima da fúria dos adeptos.

Apenas com segurança privada, a dupla de arbitragem pediu a presença dos agentes de autoridade. Por estes terem chegado para depois da meia hora que é o limite previsto para o tempo de espera, o encontro foi interrompido.

O processo seguirá, agora, para o Conselho de Disciplina que, mediante o relatório do árbitro, se pronunciará sobre o sucedido.

Este é apenas mais um caso que vem levantar a questão da segurança nos pavilhões, depois da obrigatoriedade da presença da autoridade policial ter sido levantada na maior parte dos jogos.